CÂMARA SETORIAL DEFINE DEMANDAS PRIORITÁRIAS DA CADEIA DE ERVA-MATE

10/13/2021

05:48:21 AM

Geral

Câmara Setorial define demandas prioritárias da cadeia de erva-mate

Demandas vão compor o edital do próximo chamamento público para gestão do Fundomate


Em reunião realizada nesta quinta (7), os integrantes da Câmara Setorial da Erva-mate definiram as demandas prioritárias do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Erva-mate a serem trabalhadas pelo período de 2022/23. Estas demandas vão compor o edital do próximo chamamento público para gestão do Fundomate, previsto para ser publicado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) no final de 2021.

As demandas versam sobre a divulgação da cadeia produtiva e seus produtos, treinamentos técnicos voltados ao produtor, à indústria e aos viveiristas, incentivos à pesquisa científica aplicada, desenvolvimento tecnológico, apoio às entidades representativas da cadeia e aquisição de equipamentos para a instalação de um Centro Tecnológico da Erva-mate.

Perspectivas da safra atual
Produtores relatam que as condições climáticas atuais estão garantindo uma boa brotação, o que poderá se refletir em uma grande oferta. “Nossa dúvida é com relação à La Nina, se vai aparecer no início de 2022. Acreditamos que, se a chuva for regular no começo do verão, teremos bastante oferta de erva-mate para o inverno do ano que vem”, avaliou o presidente do Sindicato da Indústria do Mate do Rio Grande do Sul (Sindimate-RS), Alvaro Pompermayer.

O coordenador técnico do Programa Gaúcho para Qualidade e Valorização da Erva-mate (PGMate), Ilvandro Barreto de Melo, ponderou que as árvores estão estressadas por terem passado por três safras problemáticas, em função da estiagem, nutrição desequilibrada dos ervais e ataques de ampola-da-erva-mate registrados no polo Alto Taquari.

“Como as plantas estão se recuperando ainda desse estresse, é difícil prever como elas vão se comportar caso uma nova estiagem venha a ocorrer. Havendo uma regulação das condições normais, sem grandes alterações de temperaturas, com precipitações que tendem a se organizar, a perspectiva é que haja uma normalidade de produção. Conversando com produtores dos cinco polos ervateiros do Estado, acho que devemos ter uma safra melhor que nos períodos passados”, completou.

Participaram da reunião representantes das seguintes entidades: Emater/RS-Ascar, Fetag, Ibramate, Sindimate, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Associação dos Produtores de Erva-Mate do Polo Ervateiro dos Vales (Aspemva), AA Erva-Mate, ACEMA, Univates e URI Erechim.

Com informações Dpto de Jornalismo - GUARITA AM/ Fonte: Portal Rádio Guaíba

Compartilhe